quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Os telemóveis, os relógios e eu!

Primeiro tive um telemóvel, ou melhor, um enorme tijolo nokia 1610. Era pesado como tudo e durou anos. Depois muitos outros se lhe sucederam e foram ficando cada vez mais pequenos. A dada altura até deixei de usar relógio. Tornei-me dependente assumida do uso deste aparelhinho e passei a ter dois números: um do serviço e outro pessoal. Agora, volvidos que estão mais de uma dúzia de anos divorciei-me dele(s)!
Artigos como este contribuíram para o divórcio. Se a radiação emitida pelos telemóveis é capaz de modificar as proteínas do ovo, imagino só o que poderá fazer ao meu cérebro, que já de si não é grande coisa...
O facto de não pararem de tocar também. Não quero ter que inventar desculpas ou requintadas mentiras para ter vida própria ou momentos de sossego...
Aderi à campanha "abaixo as chamadas, viva aos sms's!!!"
Fiz as pazes com o relógio e voltei a usá-lo. Acabei por me render às evidências e estou a dar uso aos lindos relógios swatch com que os meus amigos me presentearam no Natal e no meu aniversário.