terça-feira, 30 de junho de 2009

Aventura Intensa Terrível... à meia-noite!!

Tudo começou ontem por volta das 22:30h.
Deito-me na cama e começo a ficar com a mão esquerda dormente. Mudo de posição. Passa também para o pé. Por volta da meia-noite o raio do formigueiro não passava. Liguei para a saúde 24. Directa ao hospital de Faro. Já cheguei lá com uma dor de cabeça horrível, mas a dizer as palavrinhas todas. As que devia e as que não devia! Portanto a coisa quase que nem se fez sentir. Avisou apenas que é melhor levantar o rabo da cadeira...
Passei a noite no "hotel", abastecendo as veias de bebida branca com umas misturas manhosas lá pelo meio.

Mexa esse rabo! Faça jardinagem! disse-me a médica quando me deu alta esta manhã.
Por isso meus amigos, aceita-se uma podazinha do vosso mais lindo arbusto...

domingo, 28 de junho de 2009

Soltar a voz... libertar o grito...!

O tempo que tudo transforma, transforma também o nosso temperamento. Cada idade tem os seus prazeres, o seu espírito, os seus hábitos e o seu temperamento.
Eu, sinto que cada vez reajo com mais calma a certas adversidades, mas confesso que há situações (e pessoas) que conseguem exasperar-me de tal forma que, se não consigo fazer o log off rapidamente, o amplificador multicanal é accionado e lá vai som!

terça-feira, 16 de junho de 2009

De barraca armada!

Por uns dias interrompi os afazeres. Escritório encerrado por um dia (que resulta em 5 devido as feriados e fim-de-semana), porque todos precisamos de retemperar as forças para os longos dias que ainda temos pela frente.
Já que, e ao contrário do ano passado, tenho o G. em casa, obriguei-me a um tempinho extra para os meus homens. (bendita altura em que cedemos a exploração do bar!)
E não posso, nem gosto para dizer a verdade, de tirar férias no Verão. Mas a verdade é que já me sabiam bem uns dias de sossego, sem horários rígidos, enquanto o inverno e as férias não chegam.
Acordámos na quarta-feira e o tempo estava maravilhoso. A possibilidade de ir acampar já andava a ser falada e foi enfiar umas roupitas na mochila e arrancar, com possível direcção ao parque de campismo da galé, em Melides. Na possibilidade dos bungalows estarem todos ocupados, pusemos também o iglô na mala da pick-up.
Ao passar pela placa que indica a direcção da marisqueira que tanto gostamos na Azenha do Mar, apercebemo-nos de outra que diz parque de campismo. Fomos indagar e ficámos. O parque é pouco mais caro que os demais, mas pela proximidade com uma praia deslumbrante, pela natureza que o rodeia e pelas as piscinas que tem, vale o preço.
Foram 5 dias de contacto com a natureza, a elevarmo-nos no sono ao som do rebentar das ondas, a acordar com o pipilar das gaivotas mariscando, jantar contemplando o pôr-do-sol e ouvindo o coaxar das rãs, sem computador, sem relógio, sem electricidade, sem televisão e sem melgas, acreditem ou não!
... só paz, descanso e natureza, porque de resto encontrámos na costa alentejana um dos lugares mais bonitos de Portugal!
Enfim...! Soube a férias!

segunda-feira, 8 de junho de 2009

SETE PECADOS CAPITAIS

A minha vizinha Quarteirense (que tem uma mãozinha divinal para uns doces que são uma tentação pecaminosa) pede-me que revele a minha relação com os pecados capitais neste desafio:

1. GULA- De todos os outros pecados, este é o mais difícil de controlar, porque tenho o prazer de comer. Adoro desfrutar de uma boa refeição e em boa companhia, sou capaz de ficar horas a uma mesa.
2. AVAREZA- Não tem nada a ver comigo, gosto imenso de oferecer. Tenho prazer em agradar às pessoas de quem gosto. E quando digo dar, não estou só a falar de bens materiais...
3. INVEJA- Sou demasiado egocêntrica nesse sentido. Mas, quando acontece desejar o que outros têm, possuem ou desfrutam, luto para conseguir o mesmo para mim, mas sem renegar ou destruir o alheio. Sempre tive prazer em trabalhar e lutar para ter aquilo que tenho. E tenho muito orgulho nisso!
4. IRA- O meu maior pecado, se bem que ultimamente o tenho vindo a controlar. Mas é um sentimento mental e emotivo que controlo pouco e manejo pior ainda, deixando-me fora de controlo quando me sinto agredida. Já aconteceu mesmo perder a racionalidade e dizer coisas das quais me arrependi posteriormente. Perco a calma com facilidade, sou muito impulsiva e revolta-me as injustiças.
5.SOBERBA/ORGULHO- Não me considero superior a outras pessoas e acho que não trato ninguém com desprezo, mas sou orgulhosa q.b. daquilo que tenho e daquilo que construí.
6.LUXÚRIA- É (mesmo!) quase impossível escapar deste...
7.PREGUIÇA- Não sei nada deste! Mas ando com vontade de a ela ser apresentada e tirar uns dias de mandriice e preguiça... hummmmm

E os felizes contemplados com o desafio são:
Bala
Carla Sofia
Débora
Paula
Rita
Sofia
Teresa

sábado, 6 de junho de 2009

As maravilhas de morar no campo...!

Ouvir os passarinhos a cantar logo de manhã...
Ver os limões a nascer e crescer no limoeiro...
Ir à árvore colher albricoques para lanchar...
Ter a minha própria salsa e coentros...
Ter a cozinha invadida por formigas...
Ter festas e festivais de melgas e mosquitos à porta de casa, prontas a irromper casa adentro se uma porta ou janela lhes for aberta...
Ver as osgas a passearem-se pelas paredes do alpendre...
Acordar à noite com um besouro a dar-nos beijinhos nos dedos dos pés...
Dar de caras com perigosas alclaras e aranhas chernobylescas...
Ahhhhh... Como é boa a minha vidinha de campónia nesta envolvente biodiversidade da fauna...!