terça-feira, 27 de julho de 2010

Primeiras compras de Natal!!

Hoje dei uma voltinha pelo AlgarveShopping e deparei-me com umas boas promoções em artigos básicos na throttleman e na metro kids.
Aproveitei para comprar os presentes de Natal dos cunhados e da sobrinha a metade do preço!

O Natal é a época do ano do meu maior esforço financeiro e eu não sei mesmo passá-lo sem presentear a família e aqueles que me são queridos. Mas ao longo dos anos aprendi que começar a comprar cedo -isto inclui aproveitar os saldos de verão- beneficia a carteira. Se comprar duas ou três prendas por mês durante 5 meses, a carteira sente menos do que se comprar 20 prendas em Dezembro. E chegado o grande mês, estarei mais que tranquila e a minha conta bancária financeiramente aconchegada!

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Day 20 → Your favorite song at this time last year

Empire State of Mind" Jay-Z | Alicia Keys

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Day 19 → A song that makes me laugh

(***)
Loucas noites de verão 2008 no InSenSuS Bar...
Foi de partir o caco a rir!!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Balanço do Ano

Meio ano de nova década volvido, constato que eu gosto dos meus dias!
Gosto da maior parte das minhas rotinas.
Gosto de olhar para os meus dois homens.
Gosto de ver crescer o meu pitukinho.
Gosto dos fins-de-semana.
Gosto de ir comer marisco às azenhas.
Gosto de sair com os meus amigos.
Gosto de cozinhar para os meus amigos.
Gosto de trabalhar fora de horas no meu ambiente "zen".
Até gosto do stress do trabalho!
Estou a começar a gostar da nossa casa "nova". Gosto de estar a cinco minutos do infantário.
Gosto do nosso "quase jardim" e sua piscina.
Gosto de ler.
Gosto de arrumar compulsivamente e deitar coisas fora.
Gosto de conduzir em todo o terreno.
Gosto da praia algarvia.
Gosto de viajar.
Gosto do calor das caraíbas!

Somos nós que desenhamos a nossa vida, embora nem sempre a possamos pintar com as cores que queremos... mas depois de algum tempo à deriva, concluí que felicidade é algo que se decide por princípio. Em vez de ficar enumerando as dificuldades e adversidades, resolvi agradecer e brindar pelas outras coisas boas com que a vida me tem brindado.

Day 18 → A song that I want to play at my funeral

Muitas! Todas as que façam lembrar aos presentes a minha pessoa. Quero todos aqueles que foram especiais na minha vida a brindar com um bom vinho tinto à vida que vivi.
Ah! E nada de cravos! Esses fazem-me lembrar a morte...!
:))
... maybe they all will sing this one for me ...

terça-feira, 6 de julho de 2010

Day 17 → A song that I want to play at my wedding

Não está nos planos, mas um casamento numa qualquer praia tropical e idílica das Caraíbas, faria-me mudar de ideias. E aí, teria que ser salsa Cubana, ou bachata Dominicana ou mariachi Mexicano, ou reggae Jamaicano
Mariachi ... A escolha variaria de acordo com o local!
:))
Já trancadinhos no quarto, poderia ser música romântica sertaneja e toda a discografia de Michael Bolton, Kenny G.
E umas garrafinhas de Spumanti d'Asti! Muito importante o Spumanti d'Asti!!

Conta-me Histórias!!!

As festividades em Boliqueime continuam a ser em redor da Igreja, as tradicionais tasquinhas servem-nos a deleite a gastronomia de outrora -milhos, carne frita, presunto e queijo com pão, chouriça assada, papas de xerém, galinha com grão- e o recinto continua a ser animado por artistas ou grupos de música popular e pelo som dos acordeões.
Mas o medronho, a melosa e a ginjinha já não têm a piada de outrora. Não sei se a culpa é da idade ou da responsabilidade.
Este ano, no sábado, fomos sem o pituko, o que resultou numa noitada como já não tinha há muitos anos! Mas acabei sóbria! Bem, sóbria não é propriamente verdade, mas as bebedeiras de antigamente eram mais dignas do nome!!
Eu ainda sou do tempo das grandes ressacas. As bebedeiras de antigamente eram mais dignas do nome, porque quando as apanhávamos, sabíamos que no dia seguinte estariamos no inferno! A boca sabia a papel de jornal, a sede era de elefante, a cabeça era martelada e jurávamos que nunca mais iriamos beber, mas, antes dos trinta, o "nunca mais" dura até às festas do ano seguinte.
A ressaca era a prova de que a retribuição divina existe e que nenhum prazer ficaria sem castigo: náusea, azia, dor de cabeça... E tentava-se de tudo para evitar a dita: eno, alka-seltzer, rennie, kompensan, guronsan, duas aspirinas antes de dormir, ou uma cerveja bem fria ao acordar!
E a canjinha de galinha que a avózinha fazia para o almoço resolveria o restante!
As novas gerações não conhecem a ressaca, o que talvez explique a falência de velhos valores.
Hoje, as bebedeiras não têm a mesma grandeza. São inconsequentes, literalmente. Os miúdos entusiasmam-se com as bebedeiras que já apanharam ou vão apanhar, mas não existe mais disto. Bebem, bebem e não acontece nada. No dia seguinte estão saudáveis e bem-dispostos.
Eu ainda sou do tempo em que, no dia seguinte, o pessoal se saúdava em silencio.
A todos vós, companheiros veteranos de velhas festas, um brinde!!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Day 15 → A song that I listen to when I’m happy

Qualquer uma!
Mas música reggae, irish e country põe-me logo a bater o pé!